Matérias sobre o tema: Barra Mansa

Mantenedora-SOBEU-OK

Se quiserem acordo, UBM e SOBEU terão que apresentar proposta nos autos das ações judiciais, informa SAAERJ ao MPT

Em Audiência no Ministério Público do Trabalho (MPT) de Volta Redonda, no último dia 2 de maio, nosso Sindicato informou à Procuradoria e à UBM-SOBEU que qualquer proposta de acordo sobre os pagamentos devidos terá que se dar nos autos das ações judiciais já abertas pelo SAAERJ.

Na audiência, o SAAERJ informou ao MPT que, diante do silêncio da UBM após proposta da categoria aprovada em assembleia no dia 11/03/2019, já foram ajuizadas três ações coletivas: uma sobre atraso salarial, uma sobre o 13º e outra sobre Férias de 2016 e 2017. Informou ainda que uma quarta ação judicial está sendo preparada sobre o tíquete alimentação. Sendo assim, qualquer acordo que a UBM busque terá que ser feito nos autos dessas ações.

O SAAERJ requereu – e o MPT aceitou – a participação do Ministério Público do Trabalho nessas ações.

No momento, segundo informado na Audiência, os trabalhadores da UBM Educacional (Centro Universitário de Barra Mansa) e da SOBEU (Sociedade Barramansense de Ensino Superior) estão com os salários em dia, mas ainda sofrem com os 13º atrasados de 2017 e 2018 e o não pagamento do abono de férias. Além disso, as verbas rescisórias de alguns dos trabalhadores dispensados no final de 2018 e início de 2019 foram parceladas em 24 vezes, sem a participação dos sindicatos, tendo sido quitadas as duas primeiras parcelas.

A Audiência de 2 de maio se deu no âmbito do Inquérito Civil aberto no MPT pelo SAAERJ e pelo Sinpro-SF contra a UBM e a SOBEU por conta dos seguidos atrasos e danos causados aos empregados.

Veja aqui a Ata da Audiência no MPT de Volta Redonda

UBM

Trabalhadores da SOBEU apresentam contraproposta para pagamento de atrasados

Reunidos em assembleia geral no último dia 11 de março, os auxiliares de administração escolar da SOBEU – Associação Barramansense de Ensino –, que administra a UBM (Centro Universitário de Barra Mansa), rejeitaram a proposta da instituição para pagamento parcelado dos salários e direitos atrasados.

A categoria considerou que a proposta, que parcela em seis vezes o pagamento, não incluiu a quitação de direitos incluídos no Acordo Coletivo, como vale alimentação ou tíquete refeição. A assembleia aprovou por unanimidade contraproposta incluindo estes direitos, além de juros e correção monetária sobre o montante atrasado, calculados à época do prazo legal de tais pagamentos, tendo em vista os prejuízos financeiros acarretados por essa dívida do empregador com seus empregados.

UBM

Ministério Público dá 15 dias para UBM se explicar sobre atrasos nos salários

Respondendo a denúncia feita por nosso Sindicato, o Ministério Público do Trabalho (MPT) oficiou a UBM – Centro Universitário de Barra Mansa – para que responda, no prazo de 15 dias, sobre a reclamação de salários atrasados. O despacho do MPT foi emitido em 24/01/2018 (veja aqui).

O procurador do MPT determinou que a UBM envie para o órgão fiscalizador os comprovantes de pagamento, ou seja, a relação de todos os funcionários, os respectivos contracheques e os comprovantes de depósito bancário.

No procedimento, o MPT vai, ainda, juntar ao caso autos de infração anteriores lavrados contra a UBM.

O MPT pretende concluir a investigação em 30 dias.

UBM

Assembleia decide greve na UBM neste sábado, dia 27 de janeiro. Compareça!

Os auxiliares de administração escolar empregados do Centro Universitário de Barra Mansa – UBM – decidem em assembleia geral neste sábado, dia 27 de janeiro, se paralisam suas atividades até que a instituição regularize os pagamentos. A UBM vem abusando da paciência dos empregados e deve os pagamentos de novembro, dezembro e 13º salário de 2017, sem falar no salário de janeiro, que está terminando e não temos perspectiva de receber.

A Assembleia será realizada neste sábado, dia 27 de janeiro de 2018, no auditório, situado na Av. Domingos Mariano, n° 196, Centro, Barra Mansa, às 13h. Todos lá!

Veja abaixo o Edital de Convocação da Assembleia.

UBM

Sindicato denuncia UBM ao Ministério Público por trabalho escravo urbano

O Presidente do SAAERJ, Elles Carneiro, está encaminhando ao Ministério Público do Trabalho (MPT) denúncia contra o Centro Universitário de Barra Mansa (UBM) por trabalho escravo urbano.

“Os empregados administrativos estão sendo obrigados a trabalhar sem receber salários, décimo terceiro e férias. Estamos denunciando e levaremos a UBM rapidamente a uma mesa redonda no MPT de Volta Redonda” – explica o presidente do Sindicato.

MENTIRAS AOS TRABALHADORES

Recentemente o Sindicato esteve na UBM através do diretor responsável pela Delegacia do SAAERJ em Volta Redonda, companheiro Antonio Bevace, e do nosso advogado dr. Douglas Gondim Pereira, para apurar a situação com os trabalhadores. Notando a visita do SAAERJ, a direção da UBM chamou o Sindicato para uma reunião.

Na reunião com o Sindicato, a direção da UBM comprometeu-se a sanar todos os valores devidos aos empregados em janeiro de 2018. Para tanto, disseram, usariam as receitas vindas das matrículas e rematrículas, das mensalidades e de algum aporte externo (empréstimo) que a instituição buscaria junto a bancos.

Traiçoeiramente, no entanto, assim que o Sindicato deixou a instituição, a direção enviou mensagem aos trabalhadores desdizendo o que havia sido dito ao SAAERJ. Na mensagem, jogam o pagamento de dezembro para fevereiro e o 13º salário para abril de 2018.

ABUSO INACEITÁVEL

Isso é um descalabro inaceitável, que configura trabalho escravo, um abuso com os trabalhadores. O Sindicato está denunciando a UBM e tomará todas as medidas cabíveis contra esse abuso patronal.

Fiquem atentos, companheiros. A mobilização da categoria será fundamental para mostrar que nossa paciência tem limite.

UBM

Sindicato cobra regularização do pagamento de salários na UBM

O diretor responsável pela Delegacia do SAAERJ em Volta Redonda, companheiro Antonio Bevace, reuniu-se esta semana com o diretor geral, o diretor financeiro, o chefe de RH e o departamento jurídico da Universidade de Barra Mansa (UBM) para cobrar e pedir explicações sobre os atrasos no pagamento dos salários dos funcionários da instituição.

Durante mais de duas horas, a direção da UBM forneceu informações sobre a vida financeira da universidade para justificar o atraso. Segundo os diretores, a instituição enfrenta uma grave crise em suas finanças.

O diretor geral, no entanto, garantiu que até setembro a UBM regularizará a data de pagamento de seus funcionários. Segundo a direção, os que ganham até R$ 3.000,00 estão recebendo com atrasos de no máximo cinco dias, e os demais com atraso de até 15 dias.

A UBM agradeceu a presença do sindicato que, segundo eles, dá a oportunidade da universidade explicar sua atual situação. O diretor do SAAERJ, no entanto, avisou aos diretores da UBM que atrasos nos salários são passíveis de multas, conforme o artigo 459 da CLT, e até de cobrança por danos morais.

O Sindicato continuará acompanhando a situação.