Matérias sobre o tema: Barra Mansa

UBM

Ministério Público dá 15 dias para UBM se explicar sobre atrasos nos salários

Respondendo a denúncia feita por nosso Sindicato, o Ministério Público do Trabalho (MPT) oficiou a UBM – Centro Universitário de Barra Mansa – para que responda, no prazo de 15 dias, sobre a reclamação de salários atrasados. O despacho do MPT foi emitido em 24/01/2018 (veja aqui).

O procurador do MPT determinou que a UBM envie para o órgão fiscalizador os comprovantes de pagamento, ou seja, a relação de todos os funcionários, os respectivos contracheques e os comprovantes de depósito bancário.

No procedimento, o MPT vai, ainda, juntar ao caso autos de infração anteriores lavrados contra a UBM.

O MPT pretende concluir a investigação em 30 dias.

UBM

Assembleia decide greve na UBM neste sábado, dia 27 de janeiro. Compareça!

Os auxiliares de administração escolar empregados do Centro Universitário de Barra Mansa – UBM – decidem em assembleia geral neste sábado, dia 27 de janeiro, se paralisam suas atividades até que a instituição regularize os pagamentos. A UBM vem abusando da paciência dos empregados e deve os pagamentos de novembro, dezembro e 13º salário de 2017, sem falar no salário de janeiro, que está terminando e não temos perspectiva de receber.

A Assembleia será realizada neste sábado, dia 27 de janeiro de 2018, no auditório, situado na Av. Domingos Mariano, n° 196, Centro, Barra Mansa, às 13h. Todos lá!

Veja abaixo o Edital de Convocação da Assembleia.

UBM

Sindicato denuncia UBM ao Ministério Público por trabalho escravo urbano

O Presidente do SAAERJ, Elles Carneiro, está encaminhando ao Ministério Público do Trabalho (MPT) denúncia contra o Centro Universitário de Barra Mansa (UBM) por trabalho escravo urbano.

“Os empregados administrativos estão sendo obrigados a trabalhar sem receber salários, décimo terceiro e férias. Estamos denunciando e levaremos a UBM rapidamente a uma mesa redonda no MPT de Volta Redonda” – explica o presidente do Sindicato.

MENTIRAS AOS TRABALHADORES

Recentemente o Sindicato esteve na UBM através do diretor responsável pela Delegacia do SAAERJ em Volta Redonda, companheiro Antonio Bevace, e do nosso advogado dr. Douglas Gondim Pereira, para apurar a situação com os trabalhadores. Notando a visita do SAAERJ, a direção da UBM chamou o Sindicato para uma reunião.

Na reunião com o Sindicato, a direção da UBM comprometeu-se a sanar todos os valores devidos aos empregados em janeiro de 2018. Para tanto, disseram, usariam as receitas vindas das matrículas e rematrículas, das mensalidades e de algum aporte externo (empréstimo) que a instituição buscaria junto a bancos.

Traiçoeiramente, no entanto, assim que o Sindicato deixou a instituição, a direção enviou mensagem aos trabalhadores desdizendo o que havia sido dito ao SAAERJ. Na mensagem, jogam o pagamento de dezembro para fevereiro e o 13º salário para abril de 2018.

ABUSO INACEITÁVEL

Isso é um descalabro inaceitável, que configura trabalho escravo, um abuso com os trabalhadores. O Sindicato está denunciando a UBM e tomará todas as medidas cabíveis contra esse abuso patronal.

Fiquem atentos, companheiros. A mobilização da categoria será fundamental para mostrar que nossa paciência tem limite.

UBM

Sindicato cobra regularização do pagamento de salários na UBM

O diretor responsável pela Delegacia do SAAERJ em Volta Redonda, companheiro Antonio Bevace, reuniu-se esta semana com o diretor geral, o diretor financeiro, o chefe de RH e o departamento jurídico da Universidade de Barra Mansa (UBM) para cobrar e pedir explicações sobre os atrasos no pagamento dos salários dos funcionários da instituição.

Durante mais de duas horas, a direção da UBM forneceu informações sobre a vida financeira da universidade para justificar o atraso. Segundo os diretores, a instituição enfrenta uma grave crise em suas finanças.

O diretor geral, no entanto, garantiu que até setembro a UBM regularizará a data de pagamento de seus funcionários. Segundo a direção, os que ganham até R$ 3.000,00 estão recebendo com atrasos de no máximo cinco dias, e os demais com atraso de até 15 dias.

A UBM agradeceu a presença do sindicato que, segundo eles, dá a oportunidade da universidade explicar sua atual situação. O diretor do SAAERJ, no entanto, avisou aos diretores da UBM que atrasos nos salários são passíveis de multas, conforme o artigo 459 da CLT, e até de cobrança por danos morais.

O Sindicato continuará acompanhando a situação.